Enfim, lula livre: este é o país que queremos?

Quando éramos crianças se alguém chegasse com um objeto desconhecido em casa que não nos pertencesse, mesmo que encontrado sem dono, éramos obrigado a devolvê-lo, voltar à escola e procurar até encontrar o verdadeiro dono, mesmo já tendo sido merecedor de uma severa surra, as vezes leve como, uma dúzia de bolos, ou mais rígida, com 6 a 12 chicotadas e com privações de brinquedos por alguns dias.
Quando eu vejo hoje colegas e conhecidos defenderem com unas e dentes, com fanatismo e desmedida paixão determinados políticos corruptos: indiciados, condenados e até presos em 1ª e 2ª Instâncias, por corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, superfaturamento e por outras modalidades de ilícitos e de malversação com o erário público, eu passo a refletir e avaliar a mudança tão rápida de valores, distante daquela educação que nossos pais nos deram — na certeza de que estariam preparando cidadãos para administrar os destinos da nação — aquele então presente tão honesto e probo, contrastando com os atuais valores, quando para se encontrar este cidadão comentado teremos hoje que utilizar aquela lanterna “Tática Fénix Super Potente”, com raio múltiplos à distância para localizá-lo.
POR QUE o Supremo Tribunal Federal (STF) votou e aprovou a revogação da prisão em 2ª Instância? Quando o mesmo Plenário do STF já havia votado e aprovado em duas oportunidades anteriores — pelo placa de 6 votos contra e 5 votos a favor?
A resposta é óbvia e os meios justificam o fim.
PORQUE em atendimento a 3 ações apresentadas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), e pelos partidos políticos PATRIOTA e PC do B, declaratórias de constitucionalidade nº 43, 44 e 53, o STF teve como defesa a dubiedade do art. 283 do Código de Processo Penal (CPP) que fala: “Ninguém poderá ser preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada da autoridade judiciária competente, em decorrência de sentença condenatória transitada em julgado ou, no curso da investigação ou do processo, em virtude de prisão temporária ou prisão preventiva”.
O que deve ocorrer com a revogação da prisão após a 2ª instância?
RESPOSTA: A soltura imediata de LULA, e demais 4.894 presos, de acordo com o Conselho Nacional de Justiça, dentre estes já foram soltos réus da Lava Jato que irão impactar sobremaneira a credibilidade do Brasil dentro e fora do país — afugentando investidores que ficarão reticentes com a seriedade dos poderes constituídos e com os rumos de nossa economia. Quando uma pais é sério e honesto a notícia se espalha, os investidores se aproximam e todos só têm a ganhar.
• Com o Lula Livre as Bolsas despencaram e a cotação do dólar disparou hoje para R$ 4,17;
• As manifestações se programam para saírem as ruas, a exemplo do Chile, para realizar balbúrdias, quebra-quebra e confusões, em busca da ingovernabilidade, em consonância com os objetivos dos vermelhos e asseclas, com o pretexto de início de uma falsa campanha política, rumo ao Planalto 2022, a exemplo dos delírios de Dom Quixote de La Mancha, imaginada por Miguel de Cervantes para alcançar os moinhos;
• Provocar e buscar instabilizar à administração do Governo de Jair Bolsonaro — que após frear a corrupção sistêmica que caracterizou os governos petista de Lula e Dilma — vem sendo massacrado pela mídia capitalista.
• Com as manifestações e provocações, o LULA LIVRE promete prejudicar mais e mais a imagem já desgastada e os trabalhos do novo Governo, que tem apostado no potencial do Brasil, em seus valores morais, na importância da família, na força da fé da população e na seriedade de um povo sofrido e trabalhador, como uma alternativa viável para resgatar da lama da corrupção a que até então este mergulhado o país e, assim, recuperar a economia, criar novos empregos para promover o desenvolvimento socioeconômico de sua população;
• O presidente Jair Bolsonaro já anunciou em alto e bom som que não irá permitir que ocorra no Brasil os desmandos que estão ocorrendo em Santiago, capital do Chile. Para tanto, o Ministério da Defesa está preparada para que os efeitos do Lula Livre não transbordem e deságuem nas ruas, vielas, becos, cidades e vilarejos deste Brasil de meu Deus.

PENSAMENTO DO MÊS

Quando o Supremo Tribunal Federal (STF) tem plena consciência de que o parlamento brasileiro — a Câmara e o Senado — tem poderes para alterar a Constituição de 1988, através da aprovação de uma PEC e derrubar esta decisão colegiada do STF, por que a Suprema Corte se esmerou e se desgastou com todos para revogar a prisão em 2ª Instância? Alguém tem a resposta?

Tenham todos uma brilhante reflexão sobre o consumo de pescado.