Manter a casa livre de baratas e outros insetos ajuda a evitar o aparecimento de escorpiões

A presença de baratas e outros insetos é um chamariz para o escorpião. Isso porque estes animais são a sua principal fonte de alimentação. Portanto, as principais orientações são quanto ao manejo do ambiente, limpeza, organização de materiais e desinsetização em alguns casos.

A bióloga Christianne Brandão, técnica do Serviço de Combate a Roedores, Animais Peçonhentos e Sinantrópicos (Scraps) do Centro de Controle de Zoonozes (CCZ) de Campo Grande, explica que devido às chuvas e altas temperaturas, há um aumento na reprodução destes animais e maior oferta de alimentos o que, consequentemente, ocasiona o desalojamento da grande maioria dos invertebrados e outras pragas, como roedores, por exemplo.

“É a combinação ideal para que haja a maior proliferação destes animais. Todos estes fatores contribuem para isso, por isso é preciso que a população mantenha-se vigilante e tome alguns cuidados para evitar incidentes”, reforça.

Somente na primeira quinzena do mês de janeiro, foram registrados 19 incidentes com escorpiões na Capital.No ano passado, foram 742 casos.

Nas residências, são comuns em saídas de esgoto, ralos e caixa de gordura. Eles procuram locais escuros e se alimentam principalmente de baratas. Por isso, a importância de se combater o aparecimento desses insetos, que são atrativos dos escorpiões.

“São medidas simples, que fazem toda a diferença. Não deixe acumular lixo e entulho nos quintais, jardins, e terrenos baldios e ao redor das residências, evite a formação de ambientes favoráveis ao aparecimento dos escorpiões como restos de obras, materiais de construção e terraplanagem, que possam deixar acúmulo de entulho, superfícies sem revestimento, umidade e elimine fontes de alimento para os escorpiões (baratas, aranhas, grilos e outros pequenos animais invertebrados)”, completa.

Caso o morador encontre um animal em sua casa, ele deve entrar em contato imediatamente com o CCZ para receber as orientações sobre como proceder e, se houver necessidade, será agendada uma visita. O numero do serviço é 2020-1796 ou no 3313.5000 (horário comercial).

Se a pessoa for picada por um escorpião ou qualquer outro animal peçonhento, ela deve procurar imediatamente uma unidade de saúde para receber o atendimento adequado.

Quando é necessário acionar o CCZ?

Somente nos primeiro 28 dias deste ano, o órgão recebeu mais de 500 pedidos para exterminar infestações de escorpiões em imóveis de Campo Grande.

Até agora, desse total, somente 20% das solicitações se enquadraram nos requisitos para a realização de desinsetização, e, na maioria das demais, a instalação de barreiras já foi suficiente para acabar com o aparecimento de novos espécimes.