Projeto Movimenta Campo Grande entra na campanha de combate à dengue

A Fundação Municipal de Esportes (Funesp) anunciou que irá participar ativamente da campanha de conscientização para combater a dengue, e realizará durante esta semana uma força-tarefa informativa à população que participa das oficinas de esporte e lazer do Projeto Movimenta Campo Grande, com o objetivo de eliminar os criadouros do mosquito transmissor da dengue.

Essa estratégia foi definida em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde Pública, na última sexta-feira (23), quando técnicos da Sesau conversaram com professores e coordenadores dos parques e praças. O Dia D será realizado nesta quinta-feira, 30 de janeiro, com atividades direcionadas para o combate ao mosquito Aedes aegypti.

Marcos de Oliveira, gerente técnico da Coordenadoria de Controle Endemias Vetorias (CCEV) da Sesau, explicou como está acontecendo a ação. “Estamos visitando todas as secretarias, realizando palestra educativa e inserindo colaboradores no programa integrado intersetorial de voluntários, para capacitar funcionários visando que essas pessoas, uma ou duas vezes por semana possam ter um olhar para esses vetores, que são os possíveis criadores do mosquito. Será feita vistoria nos ralos, vaso de planta, laje e calhas, assim como quadras, campos de futebol e espaços das academias ao ar livre”.

O objetivo é não deixar água acumulada para criadouros do mosquito Aedes, conforme explicou o coordenador de atividades sistemáticas da Funesp, Vanderlei Sandim. “Esse trabalho já acontece em todas as instituições municipais, inclusive nos parques e praças e, agora, estamos ampliando essa força tarefa em parceria com a Funesp para uma ação direta com a população que participas das oficinas. Neste sentido, vamos realizar um dia específico (30/01) envolvendo os professores e coordenadores para organizar atividades e ações direcionadas para o combate ao mosquito da dengue, explicou.

Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde convoca a população brasileira a continuar, de forma permanente, com a mobilização nacional pelo combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, doenças que podem gerar outras enfermidades, como a microcefalia e Guillain-Barré, o Aedes Aegypti.

O período do verão é o mais propício à proliferação do mosquito Aedes aegypti, por causa das chuvas, e consequentemente é a época de maior risco de infecção por essas doenças. No entanto, a recomendação é não descuidar nenhum dia do ano e manter todas as posturas possíveis em ação para prevenir focos em qualquer época do ano.