Primeira residência multiprofissional da Sesau tem concorrência de até 42 candidatos por vaga

A primeira residência multiprofissional oferecida pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), conta com mais de 900 pessoas inscritas, e concorrência de até 42 candidatos por vaga, em uma das áreas. A prova irá acontecer neste domingo (09).

Ao todo estão sendo oferecidas 76 bolsas no valor de R$ 3.330,46 para as áreas de enfermagem, fisioterapia, educação física, psicologia, serviço social, odontologia e farmácia. Do total, 33 são para profissionais na área de enfermagem, tendo 395 inscritos, mas a área com maior concorrência é psicologia, onde foram ofertadas 2 vagas e possui um total de 85 candidatos inscritos.

Foram 912 candidatos que concluíram o processo de inscrição e irão participar da prova, que acontece no próximo domingo em local que será divulgado nesse site. A prova contará com quarenta questões objetivas e uma discursiva, que consistirá na análise de situações e problemas relacionados à prática na Estratégia de Saúde da Família e a temas gerais das Políticas de Saúde, Saúde Pública e Epidemiologia.

Os candidatos aprovados irão realizar a residência em uma das nove unidades que fazem parte do Programa “Laboratório de Inovação na Atenção Primária à Saúde – FIOCRUZ/MS-APS Forte”. Eles atuarão em regime de dedicação exclusiva e cumprirão cargas de 60 horas semanais.

No dia seguinte à prova, os candidatos já terão acesso ao gabarito oficial preliminar, podendo recorrer das respostas entre os dias 10 e 11 de fevereiro. No dia 14 do mesmo mês, será divulgado o gabarito oficial definitivo, sendo as matrículas feitas entre os dias 19 e 20 de fevereiro. As aulas começam no dia 02 de março.

Laboratório de Inovação em Atenção Primária à Saúde Forte

Assim como o programa de residência médica em medicina da saúde e comunidade, a residência multidisciplinar em residência da família e comunidade faz parte do Laboratório de Inovação da Fiocruz. O projeto irá beneficiar nove Unidades de Saúde da Família de Campo Grande, com reformas estruturais e a qualificação de profissionais para atuar nesses locais.

Campo Grande entrou em 2018 para o seleto grupo que integra o Laboratório de Inovação em Atenção Primária à Saúde Forte (APS Forte), desenvolvido pela Organização Pan – Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil. Atualmente, a cobertura populacional da APS em Campo Grande é superior a 60%, um salto do que era em janeiro de 2017, quando registrava cerca de 35% de cobertura populacional.