Ouro para Camila Gebara e Prata para Ana Carla Gricenvicus no Brasileiro de Judô em SC

A atleta douradense Camila Yamakawa Gebara conquistou, neste domingo, o 11º título brasileiro da carreira que começou com vitórias no sub-13. Em um esporte individual como o judô, é cada um por si. Além dela, outra campo-grandense também conquistou uma das medalhas de Prata foi Ana Carla Grincevicus, que perdeu a final para Mariana Silva, de Minas Gerais. A competição organizada pela Confederação aconteceu no Balneário Camburiu (SC).

Camila é natural de Dourados, onde continua treinando, é apontada como promessa do Brasil no peso pesado desde a base e foi vice-campeã mundial júnior em 2015. Mas a categoria dela é também a mais concorrida do país, com Maria Suelen Altheman, Rochele Nunes (que recentemente se naturalizou portuguesa) e Bia Souza, o que fez com que Camila tenha recebido poucas oportunidades de competir com a seleção adulta no exterior.

Pelo sistema vigente no judô nacional, quem está bem no ranking mundial não precisa competir em eventos locais como o Campeonato Brasileiro, interestadual (os atletas representam seus estados, não seus clubes). Vice em 2016, Camila aproveitou a ausência das estrelas para ser campeã em 2017 e 2018. No campeonato de dezembro do ano passado, porém, sofreu grave lesão no joelho.

COMPETIÇÃO NACIONAL

O ginásio multieventos Sergio Lorenzato, em Balneário Camboriú, recebeu, neste domingo, 01, as finais do Campeonato Braisleiro Sênior de Judô, última competição do calendário nacional de eventos da CBJ.

Na primeira final do dia, Amanda Lima conseguiu duas projeções para desbancar a então campeã brasileira, Eduarda Francisco, do Rio de Janeiro, e garantir o primeiro ouro para Minas Gerais.

Em seguida, o maranhense de Imperatriz, Ítalo Mazzili, forçou três punições contra Fellipe Almeida, do Rio, e levou o ouro dos ligeiros.

Na terceira luta, o Rio, conseguiu, enfim, seu primeiro ouro na competição, com a meio-leve Yasmim Lima, que defendeu, diante de Maria Taba (MG), o título do 52kg.

Na sequência, foi a vez de Diego Santos (BA) bater Gabriel Genro (RS) com um waza-ari no golden score e levar o ouro para a Bahia.

Os gaúchos conseguiram reagir e arremataram dois ouros seguidos, com Jéssica Lima e David Lima. Eles venceram Layana Colman (MG) e Julio Koda Filho (MG), respectivamente.

A sétima luta trouxe ao tatame Ana Carla Grincevicus (MS) contra a Mariana Silva (MG), que levou a melhor forçando três punições à adversária.

Na final do 81kg, João Pedro Macedo (RS) deu o terceiro ouro ao Rio Grande do Sul ao derrotar Luanh Saboya (RJ) por ippon com uma chave de braço.

Em seguida, Sarah Nascimento (MG), também utilizou uma técnica de finalização para fazer Érika Ferreira (CE) bater num estrangulamento.

Minas conquistou mais um ouro no médio masculino, com Eduardo Bettoni vencendo Cleyanderson Silva (RJ) por ippon.

Ariana Silva (MG) ampliou a vantagem mineira ao derrotar Gabrielle Ferreira (RJ) na final do 78kg.

A final do 100kg foi eletrizante. Rafael Buzacarini (SP) saiu na frente com um waza-ari, mas André Humberto não esmoreceu, buscou o empate e imobilizou o adversário para conquistar o ouro.

No pesado feminino, Camila Yamakawa, do Mato Grosso do Sul, também por imobilização, venceu Sibilla Faccholi (SP) e defendeu seu título apenas três meses depois de dar à luz o pequeno Ali, que veio ao ginásio com a mais nova mamãe campeã do judô brasileiro.

Fechando o dia, Tiago Palmini (MG) forçou três punições em Jonas Inocêncio (SP) e ficou com o título do pesado masculino.