Força-tarefa com 7 mil militares tenta reduzir fila do INSS

A fila de espera no INSS é de 1,3 milhão. Esse é o estoque de requerimentos de benefícios que não foram respondidos dentro do prazo legal.

O governo Jair Bolsonaro anunciou, nesta terça-feira (14), um conjunto de medidas para reduzir o atraso na análise de pedidos de aposentadorias e benefícios.

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, afirmou que cerca de 7 mil militares da reserva poderão ser contratados temporariamente para atendimento nas agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Dessa forma, técnicos do próprio instituto poderão ser realocados para a análise dos pedidos na fila, que é, atualmente, de 1,3 milhão de pessoas.

A expectativa do governo é que até setembro ou outubro o INSS tenha capacidade de analisar o fluxo mensal de pedidos de benefícios.

“O estoque não será zerado. A gente pretende que, no mês de setembro ou outubro, o número de requerimentos seja na mesma quantidade que temos capacidade de analisar”, declarou Marinho, segundo o jornal Folha.