PMA autua infratores na Operação Piracema

Polícia Militar Ambiental autua 55 pessoas, apreende 859 kg de pescado e aplica R$ 105 mil em multas na Operação Piracema

A partir de meia noite de amanhã (28), encerra-se o período de defeso para a proteção da piracema em todos os rios do Estado e da União em Mato Grosso do Sul, e a pesca está liberada, à exceção dos rios onde permanentemente não é permitida e, em alguns locais especiais, como distâncias definidas de cachoeiras, corredeiras e barragens de usinas hidrelétricas e outros.

A PMA inicia uma nova fase da fiscalização com a pesca aberta em todo o Estado. Durante o período de defeso, que é extremamente crítico, a fiscalização foi focada no monitoramento dos cardumes, principalmente nos pontos em que eles são mais vulneráveis, cachoeiras e corredeiras, onde a PMA instala postos fixos 24 horas durante a piracema. Nesse período, não se pode vacilar em nenhum momento, porque os peixes formam grandes cardumes e ficam vulneráveis, especialmente nos obstáculos como cachoeiras e corredeiras, porém, não há pescadores nos rios. Com a pesca aberta, são muitos pescadores nos rios, havendo necessidade também de cuidados extremos.

(OPERAÇÃO PIRACEMA 2019-2020)

Nesta operação de 2019/2020, o número relativo à quantidade de pessoas autuadas foi superior à operação passada, em 41%. Foram 55 autuados e 39 na operação anterior. Das 55 pessoas autuadas, 47 criminosos foram presos em flagrante nesta operação e na anterior foram 28. A diferença relativamente aos autuados administrativamente e presos deve-se ao fato de alguns conseguirem fugir, porém, depois são identificados e respondem ao processo pelo crime e são multados administrativamente.

(PESCADO APREENDIDO)

Na operação piracema deste ano, apreendeu-se quase o triplo de pescado em relação à operação anterior. Foram 859 kg e 319 kg na operação anterior. A quantidade de pescado apreendido é muito variável, com relação a quantidade de autuados, mas também com relação a quanto os pescadores conseguem capturar de pescado antes de serem presos. Por exemplo: nesta operação houve uma apreensão de 119 kg de uma única vez, quando três pescadores foram presos em Aquidauana, utilizando, barco com motor, sete redes de pesca, anzóis de galho. Ou seja, usam petrechos proibidos que podem dizimar grande quantidade de peixes em pouco tempo.

 (MULTAS APLICADAS DURANTE A OPERAÇÃO)

O valor das multas nesta operação foi 155,47% superior à operação passada. Foram aplicadas multas que chegaram a R$ 105.564,00 e R$ 41.320,00 durante a piracema passada. Os valores são reflexos da quantidade maior de pescado apreendido, pois são computadas às multas, um valor de R$ 20,00 para cada kg de pescado apreendido. Também, quando há reincidência são aplicadas multas maiores, o que influencia no resultado. Além disso, foi aprovada no início de 2019 uma Lei Estadual proibindo a captura do dourado, a qual estipulou a multa mínima para a captura da espécie em quase R$ 3.000,00, enquanto, antes, a multa mínima para qualquer espécie era de R$ 700,00. Dessa forma, apreensões em que havia dourado, a multa foi bastante superior.

(PETRECHOS APREENDIDOS DURANTE A OPERAÇÃO)

Com relação à quantidade de petrechos de pesca, barcos, motores de popa apreendidos a variabilidade é comum entre as operações, porém, nesta operação destacou-se às redes de pesca, que é o petrecho mais preocupante. Foram apreendidas 95 nesta e 42 na operação passada, valor 126% superior. A maior apreensão de redes de pesca deu-se no lago da usina Sérgio Motta, no município de Três Lagoas, quando da operação “Arpão” desenvolvida entre o IBAMA e a PMA, em que as equipes apreenderam 55 redes que mediram 4.680 metros.

Ressalta-se com relação à preocupação com os petrechos do tipo redes de pesca, espinhéis e anzóis de galho, porque são petrechos com alto poder de captura e são materiais em que as pessoas não precisam permanecer nos rios durante a pesca. Os infratores armam os petrechos, normalmente de madrugada e voltam somente para conferir, o que dificulta as prisões. Dessa forma, a PMA precisa manter os Policiais nos rios diuturnamente para fazer a retirada desses materiais, que possuem alto poder de captura e de depredação de cardume.

A PMA acredita que, apesar de a sensibilização da população melhorar com relação às questões ambientais a cada ano e, por isso, tem trabalhado permanente a Educação Ambiental nas escolas, atendendo média de 20.000 alunos por ano.

De qualquer forma, alguns criminosos insistirão em praticar a pesca predatória. Dessa forma, a fiscalização preventiva e repressiva sempre será necessária, porém, a divulgação das prisões também influencia na diminuição das pessoas que se arriscam a praticar a pesca predatória, devido ao medo da punibilidade que é extremamente restritiva, tanto na parte penal, como na multa administrativa.

Além disso, desde que adotou a estratégia de monitorar os cardumes, principalmente nos pontos de vulnerabilidade, nos últimos nove anos tem havido uma tendência à estabilidade em um patamar médio próximo a 50 pessoas presas e menos de 1 (uma) tonelada de pescado apreendido, que não é muito, considerando o tamanho do Estado e a quantidade de rios piscosos. Números diferentes de quando não se adotava a estratégia, quando se apreendiam quase seis toneladas de pescado.

Os resultados obtidos pela fiscalização demonstram que a estratégia tem dado certo e os números têm se mantido em patamares esperados e aceitáveis, dentro da meta preventiva. Isto é fundamental, pois os recursos pesqueiros estão sendo bem conservados, fator muito importante, tendo em vista ser o turismo de pesca uma variável econômica muito importante para o Estado e que gera milhares de empregos diretos e indiretos.

NÚMEROS DETALHADOS DA OPERAÇÃO POR MUNICÍPIO E NÚMEROS COMPARATIVOS TOTAIS, COM OPERAÇÕES ANTERIORES (Tabelas de 1 a 5).

Tabela 1 (NÚMEROS TOTAIS DAS OPERAÇÕES PIRACEMA ENTRE O ANO DE 2007 A 2020)

APREENSÕES

7/08

8/09

9/10

10/11

11/12

12/13

13/14

14/15

15/16

16/17

17/18

18/19

19/20

Auto de Infração IBAMA

0

0

0

0

0

0

0

0

0

0

0

0

0

Auto de Infração SEMA

83

81

79

71

76

62

38

33

49

64

56

39

55

Prisão em Flagrante Delegacia

74

81

98

71

66

45

31

30

39

50

48

28

47

Pescado Apreendido

1.930

2.341

1.790

984

1.089

667

1.085

693

1.051

1401

1919

319

859

Pescado Apreendido – Falta de Declaração de Estoque

2.062

0

0

30

0

0

0

720

394

0

0

Anzóis de galho

1350

1092

1.519

836

1117

845

649

452

811

425

611

528

498

Bóias

14

6

5

23

12

21

10

8

14

2

18

20

1

Barcos

17

21

34

8

15

8

9

8

16

5

10

7

11

Motor de popa

15

22

27

9

27

11

9

8

16

5

10

6

12

Carretilhas/Molinetes/Varas

48

63

92

50

62

34

27

19

18

38

59

9

10

Caniços

48

84

50

35

42

23

19

13

15

9

17

5

0

Canoas

7

13

6

1

3

2

1

1

5

3

3

4

1

Espinhéis

26

61

63

35

22

17

26

23

4

10

13

21

45

Freezer/Caixas Isotérmicas

12

7

5

5

7

9

11

6

8

6

13

6

4

Iscas (UN)

52

700

159

1.500

440

190

215

284

2.000

0

25

60

0

Redes

91

195

145

103

127

87

79

47

53

97

51

42

95

Veículos

23

21

20

17

13

9

7

5

6

7

8

5

6

Tarrafas

46

39

55

44

38

26

19

11

14

16

13

11

4

Multas R$

101.590

113.530

86.650

40.360

47.460

103,120

125.734

182.200

41.320

105.564

 

Tabela 2 – Ocorrências de pesca durante o 1º mês de piracema por município

DATA

OCORRÊNCIA

MULTA (R$)

AUTUADOS/ PRESOS

MUNICÍPIO

PESCADO (KG)

1-nov.

Pesca Predatória

3.280

2

Batayporã

14

1-nov.

Pesca Predatória

3.840

3

Coxim

29

2-nov.

Pesca Predatória

700

1

Iguatemi

0

3-nov.

Pesca Predatória

760

1

Ap. de Taboado

3

6-nov.

Pesca Predatória de Dourado e Piracanjuba

3.891

1

Dourados

0

7-nov.

Pesca Piracema

0

0

Coxim

0

10-nov.

Pesca Piracema

0

0

Mundo Novo

0

12-nov.

Pesca Piracema

1.000

1

Dist. Piraputanga

5

13-nov.

Pesca Piracema – Dourado

2.981

1

Dourados

0

15-nov.

Pesca Piracema – Transporte

1.300

1

Aquidauana

7

19-nov.

Pesca Piracema

6.000

2

Três Lagoas

0

19-nov.

Pesca Piracema

2.500

1

Tres Lagoas

0

 

TOTAL

26.252

14

 

58

Tabela 3 – Ocorrências de pesca durante o 2º mês de piracema por município

DATA

OCORRÊNCIA

MULTA (R$)

AUTUADOS/ PRESOS

MUNICÍPIO

PESCADO ( KG)

03/12

Pesca Predatória

1.140

1

Aquidauana

7

03/12

Pesca Predatória

1.140

1

Três Lagoas

0

05/12

Pesca Predatória

2.160

3

Jardim

2

06/12

Pesca Predatória

0

0

Três Lagoas

30

07/12

Pesca Predatória

1.700

3

Guia Lopes

3

09/12

Pesca Predatória

4.500

3

Aquidauana

119

12/12

Pesca Predatória (Petrechos proibidos)

0

0

Corumbá

0

14/12

Pesca Predatória

2.000

1

Ponta Porã

47

16/12

Pesca Predatória (Petrechos proibidos)

0

0

Coxim

0

19/12

Pesca Predatória (Petrechos proibidos)

0

0

Rio Apa

0

19/12

Pesca Predatória (petrechos proibidos)

5.000

1

Jardim

0

26/12

Pesca Predatória

1.460

1

Batayporã

38

26/12

Pesca Predatória (Petrechos proibidos)

0

0

Batayporã

25

27/12

Pesca Predatória

0

4

Mundo Novo

40

31/12

Pesca Predatória (Petrechos proibidos)

0

0

Coxim

0

 Total

19.100

18

 

311

Tabela 4 – Ocorrências de pesca durante o 3º mês de piracema por município

DATA

OCORRÊNCIA

MULTA (R$)

AUTUADOS/ PRESOS

MUNICÍPIO

PESCADO (KG)

04/01

Pesca Predatória Petrechos Proibidos

0

0

Coxim

15

15/01

Pesca Predatória – Tamanho abaixo da medida permitida

0

0

Miranda

18

15/01

Pesca Predatória – Espécie proibida, Dourado)

2.900

1

Corumbá

22

15/01

Pesca Predatória – Transporte ilegal e espécie proibidas, Dourado

2.877

1

Costa Rica

5

15/01

Pesca Predatória – Espécie proibida, Dourado

2.877

1

Anastácio

3

15/01

Pesca Predatória – Espécie proibida, Dourado e Piracanjuba

3.891

1

15

15/01

Pesca Predatória – Espécie proibida, Dourado

2.891

1

Laguna Carapã

7

16/01

Pesca Proibida – Transporte ilegal de pescado

820

1

Rochedo

6

22/01

Pesca Predatória

2.500

2

Três Lagoas

0

27/01

Transporte ilegal de pescado

1.120

1

Dourados

21

28/01

Transporte ilegal de pescado

20.207

1

Dourados

108

30/01

Pesca de Predatória – Sem Declaração de estoque

940

1

Aquidauana

12

31/01

Comercialização ilegal

4.260

1

Três Lagoas

178

Total

 

45.283

12

 

410

 

Tabela 5 – Ocorrências de pesca durante o 4º mês de piracema por município

DATA

OCORRÊNCIA

MULTA (R$)

AUTUADOS/ PRESOS

MUNICÍPIO

PESCADO (KG)

10/02

Pesca de Dourado

1.140

1

Bela Vista

31

10/02

Pesca de Dourado

2.983

1

Bela Vista

0

10/02

Pesca – Petrecho

0

0

P. Murtinho

0

10/02

Pesca Predatória Dourado e outro

8.246

2

P. Murtinho

31

13/02

Transporte petrecho

860,00

1

Terenos

8

17/02

Pesca Petrecho

0

1

Miranda

0

22/02

Pesca Petrecho

0

0

Batayporã

0

24/02

Pesca Petrecho

700,00

1

Bela Vista

0

25/02

Pesca Petrecho

0

0

Corumbá

0

25/02

Pesca Petrecho

1.000

1

Coxim

0

 

TOTAL

14.929,00

8

 

70

ABERTURA DA PESCA

ALERTA AOS PESCADORES

A PMA alerta para que as pessoas que praticarão a pesca, que cumpram as leis, pois mesmo com a pesca aberta, várias atitudes continuam sendo crimes, inclusive, com as mesmas penalidades de pescar em período de piracema. Exemplo: Pescar com petrechos, ou com método de pesca proibidos, em quantidade superior à permitida, ou em local proibido e capturar pescado com tamanho inferior ao permitido, bem como transportar produto da pesca predatória.

Na parte criminal, as pessoas são encaminhadas às delegacias de polícia, autuadas em flagrante delito e poderão, se condenadas, pegar pena de uma a três anos de detenção (Lei Federal nº 9.605/1998). Na esfera administrativa, a multa é de R$ 700,00 a R$ 100.000,00, mais R$ 20,00 por quilo do pescado irregular (Decreto Federal nº 6.514/2008). Ainda cabe apreensão de todo o produto da pesca, petrechos, veículos, barcos e motores.

O Comando da Polícia Militar Ambiental tem mantido há seis anos e manterá instalado por tempo indeterminado, o POSTO AVANÇADO que foi montado durante a “piracema” na Cachoeira do Sossego, no rio Aquidauana, próximo à cidade de Rochedo. Isto se deve ao fato de haver uma incidência de problemas de pesca predatória na região de Rochedo e Corguinho. Trata-se de um ponto estratégico para a fiscalização.

CONSULTEM INFORMAÇÃO RELATIVA À LEGISLAÇÃO DE PESCA (www.pm.ms.gov.br)


ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL – PMMS