Campo Grande / MS - domingo, 16 de maio de 2021
(67) 99890-6610

Aprendendo com a morte

Publicado em: 20/04/2021 - 5:47

Toda vez que caminhamos estamos passando por cima da MORTE, este passo nos
realizamos sem imaginar a grande oportunidade de escolher o caminho da LIBERDADE.
Teríamos que pensar o que existe de mais precioso naquele milésimo de segundo
para nossa existência.
Não importa se somos ilustres ou desconhecidos, que tenhamos muitos diplomas
ou sequer tenhamos cursado o ensino fundamental.
Não importa se tenhamos estragado nossa vida, tornando-a quase insuportável, ou
se a tornamos bela, harmoniosa. Todos vamos morrer.
Esta LIBERDADE de escolher e somente nossa,
Damos mais um passo por cima da MORTE, teríamos que mais uma vez a LIBERDADE de escolher o caminho da FRATERNIDADE, ou não, por que se estamos
envolvidos no processo de vida, não vamos gritar, nem gemer. Se tratamos bem as pessoas
enquanto estão ao nosso lado, com respeito dignidade de sermos seres humanos a morte é
um processo contínuo e belo da vida. É a FRATERNIDADE é uma boa amiga, pois nos
diz que não sabemos se teremos tempo de sermos harmonioso, humildes e fraternos porque
nunca saberemos se teríamos outra oportunidade de tempo para vivermos os rascunhos que
deixamos de viver.
Por isso, cada milésimo de segundo é precioso. E teríamos que viver conforme esta
verdade. Quando alguém está falando conosco, escutemos e não olhemos por cima do ombro para ver o que mais está acontecendo, usufruímos este momento, olhemos as pessoas os
irmãos nos olhos. Cumprimentamos nossos irmãos, ouçamos o retorno deste comprimento
o que ele tem a dizer.
Trocamos o abraço fraternal (coração com coração) para limparmos as asperezas
das adversidades entreposta entre nós, porque este poderá ser que seja o seu último contato
conosco.
Se termos a oportunidade de darmos mais um passo vamos pensarmos que estamos
a cada milésimo de segundo passando por cima da IGUALDADE, ou caminhando junto
com a MORTE, pois este, esta sendo a oportunidade de viver refletir e fazermos a pergunta
O QUE EU VIM FAZER AQUI.
Vamos aproveitar a oportunidade qual está sendo a nós confiada de sobrevivermos
com a LIBERDADE única de caminharmos na escolha da VIRTUDES ou do VÍCIO, e de
sermos um bom vivente entre seres HUMANOS.
A oportunidade de refletirmos de sermos FRATERNO um para com o outro ser que
e nosso semelhante, pois perante ao nosso criador DEUS OU GRANDE ARQUITETO do
UNIVERSO não existe esta distinção de cor e raça ou credo por que a morte nos ensina que
o momento e este o momento de dizer para a pessoa que amamos e dizer que a amamos.
É este o momento de atender o chamado do filho e observá-lo enquanto ele se balança no
galho mais alto da árvore e, feliz, por estarmos junto a ele.
Este seria o momento de pararmos e com FRATERNIDADE almoçarmos com
a família, de corpo e alma. De olhar para sua companheira e fazer um carinho, dizer-lhe
como, apesar dos anos, ela continua a namorada encantadora.
A morte nos ensina que não temos a eternidade na Terra. Ensina que nada aqui
é permanente. Ensina-nos a deixar neste mundo vivente, senão aos sentimentos que nos
acompanharam aonde passamos. Finalmente, a LIBERDADE, a IGUALDADE e a MORTE nos diz para vivermos agora, sem querer de forma ansiosa viver o milésimo de segundo
adiante, porque afinal, ninguém pode ter a certeza de que ele existirá para nós.

Refletimos a LIBERDADE, FRATERNIDADE e a IGUALDADE.

Desenvolvido por Argo Soluções