Campo Grande / MS - sexta-feira, 22 de outubro de 2021
(67) 99890-6610

Ministério da Defesa leva qualificação profissional a jovens soldados

Publicado em: 24/09/2021 - 9:14

 Concluir o Serviço Militar com uma profissão e pronto para entrar no mercado de trabalho. Esse é o objetivo do Projeto Soldado-Cidadão (PSC), iniciativa que faz parte do Programa de Assistência e Cooperação das Forças Armadas à Sociedade Civil, sob a responsabilidade do Ministério da Defesa.

Militares temporários carentes ou em situação de risco social deixam a corporação com qualificação profissional. São jovens eletricistas, pedreiros, marceneiros, pintores, cozinheiros, mecânicos, motoristas, web designers, entre outros.

É o caso do soldado do Exército Jhonata Augusto Araújo Moura, do Distrito Federal, que está fazendo o curso de instalações hidráulicas pelo programa no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Depois que deixar a corporação, ele pretende se aprofundar mais no assunto e estudar mecânica. “A gente tem que sempre pensar no futuro. O Exército não é para sempre, assim como nada na vida, então a gente tem que estar pensando lá na frente”, diz o soldado.

Além do Senai, as organizações militares contam com a parceria de outras entidades de ensino profissionalizante do Sistema “S” como Senac, Senat e Senar.

Empregabilidade

Em 17 anos de criação, o Projeto Soldado-Cidadão atendeu mais 255 mil jovens em todo o país. Só neste ano já foram investidos cerca de R$ 3,8 milhões no projeto, o que permitiu capacitar aproximadamente 4 mil militares. “Eu digo que o Projeto Soldado-Cidadão tem um caráter dual. Ganha tanto as Forças Armadas quanto o militar. O caráter principal do Projeto Soldado-Cidadão é dar empregabilidade ao militar quando ele dá baixa após o tempo de serviço”, ressalta o coordenador do Projeto do Ministério da Defesa, Coronel Gustavo Gomes.

De acordo com o Ministério da Defesa, o índice de empregabilidade dos jovens que fazem os cursos pelo programa chega a 70%.

Só em Brasília, a Marinha conta com 110 marinheiros recrutas participando do programa. Em parceria com o Senac, eles realizam curso na área administrativa. “A ideia do projeto é que eles passem um período aqui na Força, recebam algum tipo de atividade teórica que vai engrandecer o currículo deles e futuramente eles possam ingressar no mercado de trabalho em melhores condições do que quando chegaram aqui na Força”, explica o Capitão de Mar e Guerra Fuzileiro Naval Álvaro Moura, Comandante do Centro de Adestramento e Instrução de Brasília.

Experiência

O chefe de cozinha Pedro Henrique Batista é responsável por dois restaurantes de Brasília. A paixão pela culinária começou com o Projeto Soldado-Cidadão. “Eu servi o Serviço Militar obrigatório e nesse serviço eles deram um curso de gastronomia pelo Senac, na época, e eu comecei a me apaixonar. Comecei a fazer o curso e gostar, e realmente saí daqui com uma profissão”, diz.

Além de chefe de cozinha, Pedro Henrique é hoje consultor e professor de gastronomia. “Eu digo para todo mundo que a Marinha me deu uma profissão. Além de servir [à Pátria], eu aprendi a servir as outras pessoas através do alimento”, conclui.

Fonte: Governo do Brasil



Desenvolvido por Argo Soluções