Campo Grande / MS - quinta-feira, 22 de abril de 2021
(67) 99890-6610

Dois mortos em inundações no sul de França

Publicado em: 11/24/2019 - 9:53

Duas pessoas morreram na sequência das fortes chuvas que afetaram a região de Côte d’Azur, no sul da França, que está sob alerta laranja.

Duas pessoas morreram na sequência das fortes chuvas que afetaram a região de Côte d’Azur, no sul da França, que está sob alerta laranja, e várias estradas estão inundadas, foi anunciado este domingo.

“Os serviços de segurança que estão a trabalhar nas inundações acabaram de descobrir dois corpos: um em Muy, perto da área onde um barco tinha capotado no sábado e outro em Cabasse, dentro de um carro”, afirmou um porta-voz das autoridades, citado pela agência de notícias EFE.

Entre as vítimas está um homem de 77 anos que vivia na localidade de Saint-Antonin du Var.

Segundo a mesma fonte, registam-se ainda vários desaparecidos.

O serviço meteorológico francês reduziu hoje o alerta de vermelho para laranja e pediu aos cidadãos para se manterem em vigilância extrema, enquanto continuam as operações de busca dos dois desaparecidos.

O aviso laranja aplica-se a uma situação meteorológica de risco moderado ou elevado, enquanto o vermelho é utilizado em risco extremo.

Em declarações à cadeia BFM TV, o delegado do Governo em Var, Jean-Luc Videlaine referiu que “o nível da água está a baixar”, mas a situação permanece “longe da normalidade”.

Cerca de Cerca de 1.600 bombeiros foram destacados para responder às centenas de apelos das populações das zonas dos Alpes marítimos e do Var.

Uma mulher de 39 anos ficou gravemente ferida após ter sido levada por uma onda, indicaram, no sábado, os bombeiros do Mónaco, enquanto um homem de 78 anos foi igualmente hospitalizado em estado de hipotermia, mas sem ferimentos graves, depois de ter sido empurrado por árvores numa enxurrada de lama.

Ao fim da tarde de sábado, cerca de 4.000 habitações estavam privadas de eletricidade.

Muitos habitantes foram retirados por prevenção e outros refugiaram-se em edifícios municipais de acolhimento.

Fonte: Observador

Desenvolvido por Argo Soluções