O venerável mestre e a liderança

Próximos aos verdadeiros líderes estão os líderes que as pessoas conhecem e admiram; depois deles, quem temem; em seguida, quem desprezam!

O líder – Os membros de um
grupo sentem-se seguros,
como se tivessem em seu
meio um “Mestre” para guiá-los no
sentido certo.O autêntico líder tem
aptidões especiais, principalmente
uma força que, como um imã, atrai
outras pessoas que depois permanecem ao seu redor.
Faz um trabalho de base,
de conversas pessoais, onde obtém êxitos e fracassos. Muitas vezes decepciona-se com alguns dos
seus liderados que, frente a uma
ideia para o bem comum, pensam
apenas em si mesmos.
Sabemos que todo ser humano traz em si uma grande quantidade de ideias, só que a maioria
não sabe expressá-las, ou não tem
condições de defendê-las perante
os outros.
Seu ideal não precisa de
aplausos nem da adesão de todos.
Os seus seguidores o são baseados
na ideia que ele representa, e não
em sua figura pessoal.
Ele tem um ideal e o defende com unhas e dentes, independentemente do número de pessoas
que o apoiam. Muitas vezes ele, na
defesa de suas ideias, tem uma coerência interna tão grande na luta
pelo que acha certo, que é quase
impossível deixar de admirá-lo.
Até, se for preciso, luta sozinho
para provar que vale a pena viver
por tal ideal.Eleé intemporal, pois
semeia ideias que ficam, e um dia
podem tornar-se realidade. Sua
luta por objetivos grandiosos tem
grande valor histórico, pois ele é
uma pessoa que deixasua presença gravada para sempre,seja sua
atuação em que campo for. Talvez numa pequena oficina, talvez
num grande grupo, lá estará ele,
agindo sempre com a mesma força, característica de sua liderança,
pois, ele é a defesa do que acredita
e é seguido por seu grupo.Interesses pessoais, conchavos e politicagem são postos de lado, tendo
em vista o bem comum, seu maior
interesse. Seu valor não o deixa
esmorecer ante às adversidades,
pois afinal o líder não é só uma
pessoa, é, sobretudo, uma ideia
que vive. E ele lutará até tombar
ou realizar seu sonho impossível,
procurando sempre melhores condições às pessoas, a cada Irmão, a
cada passo que dá.
Em Loja Maçônica -Com
o título de Venerável Mestre, é
escolhido pelo grupo,para exercer
por 1(um) ou 2 (dois) anos, a condução da Loja Maçônica.Estamos
sequiosos por líderes que mereçam
confiança e devotamento.A cada
eleição cresce a expectativa justa
de que a escolha certa de nossos
O venerável mestre e a
liderança
Próximos aos verdadeiros líderes estão
os líderes que as pessoas conhecem e
admiram; depois deles, quem temem;
em seguida, quem desprezam!
Valdemar Sansão

líderes nos faculte a conquista do
conhecimento, da paz, do respeito,
da felicidade geral e que o trabalho seja também para o progresso
espiritual do grupo, pois, não há
construção que se erga sem que a
argamassa não esteja misturada ao
suor do obreiro.
Cada Maçom em particular
se considera um líder e o confronto de líderes pode gerar conflitos.
É importante, também,distinguir
liderança e autoritarismo.
Nem sempre um Mestre
é capaz de bem desempenhar a
missão. Certamenteo cargo não o
torna um líder. Exercitar liderança significa trabalhar arduamente
impedindo a influência do ego.
Continuará líder se proporcionar
confiança, encorajamento,fé, e,
querendo, até sua reeleição.
Para a eleição de nova administração da Loja Maçônica, a
responsabilidade é confiada aos
Mestres Maçons da Loja, que devem ter o discernimento de fazê-lo
bem, convictos que estarão amparando o processo de evolução infinita para atingir a perfeição.
A título de colaboração de
quem de ano a ano é chamado a
eleger novos administradores e
não sendo possível ficar fora do
processo,não custa abordar ao
menos alguns fatos importantes
sobre o assunto.Pretendemos tão
somente fazer crítica construtiva à
escolha do Venerável Mestre,Guia
e líder natural de todo o quadro de
Obreiros, ao qual devemos oferecer, irmanados e ombreados, o socorro de nossos braços, de nossa
experiência, de nosso trabalho e
nos empenharmos em aplaudi-lo
e apoiá-lo se demonstrar sabedo
ria,coragem,humildade,interesse
e dedicaçãoqueprometeu e jurou,
e que dele esperamos, exigindo
participações maiores, mais efetivas e constantes possíveis.Não
deixaremos de acreditar nos muitos que ainda merecem confiança
e continuam plantando a semente
da fraternidade, da harmonia, da
paz dentro de nossas Lojas.
O Venerável desnecessário – Uma das situações, talvez a
mais dolorosa para o Venerável
Mestre, é quando ele se conscientiza de que é totalmente desnecessário.Quando decorrido algum
tempo de sua instalação e posse,
os Obreiros já demonstram desinteresse pelas sessões, faltando
constantemente;quando não entende que junto com os Vigilantes, deve constituir uma unidade
de pensamento; quando constata
que sua Loja, recolhe um Tronco
de Beneficência insignificante (no
caso todos são desnecessários,
pois a benemerência é um dever
do maçom); quando a Chancelaria
não dá importância aos natalícios
dos Irmãos, Cunhadas,Sobrinho(a)
s e convites de eventos de outras
Lojas, não acusando sequer seu
recebimento; quando deixa o caos
se abater sobre a Loja, não sendo
firme o suficiente para exercer sua
autoridade; quando não tem uma
programação pré-definida; quando deixa de cobrar dos auxiliares
a consecução das tarefas determinadas, e não se importa com a educação maçônica, que é primordial
para recordar os ensinamentos e as
finalidades da Maçonaria; quando
não trabalha duro para refrear os
desejos, dominar o medo, tomar
as decisões adequadas e para dar
a cada um o que lhe é devido.
Sem cometer equivoco,
com base na observação pessoal, podemos afirmar: “O êxito ou
fracasso de uma Loja Maçônica
depende exclusivamente do seu
Venerável Mestre; nenhuma outra razão, influência ou fator interveniente de ordem interna ou
externa, pode prevalecer ou prosperar no sentido de enodoar uma
administração, prejudicando-a,
sem que o administrador dê para
isso margem. Se isso acontecer, o
ponto fraco é o administrador”.
Na hipótese contrária, o êxito resultante também deve ser a ele
creditado.
Concluindo – A Maçonaria a todos nivela nas reuniões
Maçônicas.O 22º Landmark diz:
“Todos os maçons são absolutamente iguais dentro da Loja, sem
distinções de prerrogativas profanas, de privilégios que a sociedade confere”.Por tudo isso, o Mestre que deseja liderar seus Irmãos,
para se habilitar ao cargo de “Guia”
deve proporcionar-lhes confiançae
encorajamento,observando oque
se segue:
– Aja querendo ser um verdadeiro líder, sendo tão calmamente eficiente quanto possível.
Surpreenda alguém que esteja fazendo algo certo! Lembre-se do
essencial, esquece o acessório!
– Conscientize-se de que
o seu ego é quem está sugerindo
que você é um fracasso. Em vez de
considerar-se um fracasso quando
nenhum crédito lhe é dado como
quer, lembre-se de que vocêfoi
bem-sucedido como líder, e de
bom coração faça com que seu ego
saiba que esse é o caminho para a
verdadeira liderança.
– Seja de fato um livre pensador e não faça distinções de credos, raças ou nacionalidades.
– Seja sempre disposto a
combater os erros, os preconceitos, a ignorância e a intolerância,
edição
150
2020
13
www.revista .com.br
para que das trevas se faça a Luz;
que se inspire na Lei central da
vida: seja o que é, e seja fraternal.
– Seja sem reservas e sofismas, capaz de perdoar e receber
nos seus braços um Irmão hostil.
– Seja capaz de combater
os vícios e praticar a Virtude, aspirando à Verdade e à Justiça, com
retidão e sabedoria.Eis o verdadeiro cimento social, e é com ele que
se faz Maçonaria.
– Se ao chegar ao centro,ver
na letra “G” toda a sua simbologia
(Beleza, Força e Sabedoria), que
de uma forma possa interpretar
como Geometria, Gnose, Gênio,
Gravitação,Gênesis, tão amplo o
seu sentido e significado.
– Se ao passar do Esq∴ ao
Comp∴, entender toda a simbologia da Lenda de Hiram, no seu
sentido mais profundo, nos seus
Mistérios e na sua morte em Segredo e pelo Segredo, para depois
ressurgir em Glória e Imortal,
de sob a Acácia, que simboliza a
união entre o visível e o invisível.
– Se compreender e aceitar que sendo Nossa Ordem
oculta, no sentido de que só aos
Verdadeiros Iniciados os seus Segredos vão sendo revelados através da continuada procura, numa
interiorização profunda, então
meu Irmão, está apto a ser verdadeiro líder e Venerável Mestre.
– Seja tão paciente consigo
mesmo, em todos os seus sucessos
e desapontamentos, quanto sente
que Deus sempre lhe deu Luz, discernimento, inspiração e proteção!
P.S. É uma dupla irresponsabilidade a eleição de um
Venerável Mestre sem a necessária habilitação e programa para
o cargo. Dupla, pois é irresponsável quem desta maneira aceita
a incumbência, como também,
irresponsáveis são osque o elegeram.

Redes Sociais
Nos siga no Google Notícias   Autor e Fonte: Jornal Eletrônico em Mato Grosso do Sul - Tereré News
Por Chico Oliveira/Tereré News   Empresa Jornalística    ouça este conteúdo   Edição Impresa.